Skip to content

Nota de falecimento

Convenção Seal perde um grande colaborador


Um grave acidente de moto, ocorrido no dia 31 de dezembro de 2012 na BR 235 no km 55 próximo a Itabaiana vindo do povoado Camaratuba sua cidade familiar, no período  de 18 às 21:30 hs, ceifou a vida de nosso amado irmão e Missionário  Genaldo Fiel dos Santos. Sua esposa,  Débora da Cruz Santos Fiel  também estava com ele e pela misericórdia de Deus foi poupada sua vida porém recupera-se de graves ferimentos. Pedimos vossas orações.
 
Fica registrado aqui nosso eterno pesar, de todos os membros da diretoria regional, pelo nosso amado companheiro da obra santa do Senhor.
 
Aracaju 01 janeiro  2013
 
Pr Esmael Bentes
 
Secretario Regional da Conv.SEAL
 
 
 
GENALDO FIEL DOS SANTOS
 
12/11/1983  – 31/12/2012
 
FILHO DE: Daniel Fiel Dos Santos  e   Maria Rosa da Cruz Santos
 
CASADO COM:  Debora Da Cruz Santos Fiel
 
 
 
CAMPO PASTORAL:  LAGARTO – JENIPAPO – RIO FUNDO E FLEXA E ainda dava assistência ao campo de Tobias Barreto
 
Formado Bacharel em Teologia pela FATAP em nosso seminário em São Paulo.
 
——————————-
 
Tristeza hoje,  (alegria) na ressurreição amanhã!
 
 
 
É muito triste começar um novo ano tendo que escrever sobre um triste fato. Escrever sobre a morte de alguém querido. Não é algo que fazemos com alegria, afinal, queríamos que tudo o que ouvimos como notícia, não passasse de um mal entendido, como diria um amigo de seminário.
 
O que falar de Genaldo Fiel dos Santos. Temos tantas coisas a dizer sobre ele neste momento de dor e tristeza. Eu tive a alegria de compartilhar do mesmo quarto que ele no seminário. Genaldo sempre acordava com disposição para viver mais um dia. Sempre orava antes de dormir e acordar (fora as outras orações), e na maioria das vezes sempre tinha uma canção alegre para cantar no começo do dia.
 
Como agora vou ouvir as canções de Lázaro? Afinal meu amigo cantou essas canções tantas vezes. Todos os dias, os que conviveram com ele sabem do que falo. Como não se lembrar dos momentos de aula em que “Bikanka” (apelido dado devido uma expressão regional por ele usada) sempre fazia perguntas engraçadas, sérias e curiosas. Como esquecer de sua sinceridade, seus risos e sua vitalidade. Em todos os momentos que estávamos com ele, era difícil ver-lhe com o rosto triste, seu sorriso marcante era capaz de contagiar-nos até em dias mais difíceis.
 
Genaldo era homem de fé, de oração, de fala forte e empolgante, de alegria indizível vinda do Senhor e de seus regionalismos arraigados procedentes do Nordeste brasileiro. Sua paixão por Camaratuba era imenso, falava bastante da alegria de ter nascido lá.
 
Sua paixão por Débora sempre foi muito evidente. Desde as canções de celular, das conversas com ele e até a concretização do casamento. Sua vida foi dedicada também a Noiva do Senhor, a igreja, a quem respeitava com a maior estima.  Um desses sinais de amor ao trabalho do Senhor é provavelmente sua última mensagem no Facebook: “Culto em Itabaiana”.
 
Como todos nós, era imperfeito, mas vivia o Evangelho com simplicidade e a cada dia era transformado de glória em glória na imagem do Senhor (2 Corítios 3.18). Com certeza, minha turma de 2008-2010, da FATAP-interna em São Paulo-SP, sentiremos muita falta de um companheiro muito querido por todos nós, e todos que o conheceram certamente sentirão tamanha perda.
 
Diante deste imprevisível começo do ano de 2013, resta-nos orar para que Deus cuide e console sua esposa Débora, sua família e seus amigos. Que Deus nos ajude a viver uma vida simples e sincera como foi a que nosso irmão deixou e que pela graça de Cristo, continuemos neste caminho, para revermos nosso amigo e irmão Genaldo Fiel dos Santos, na volta de nosso Senhor Jesus Cristo.
 
Termino com as palavras do Santo Evangelho, que nos mostram a tristeza hoje (morte), (alegria) na ressurreição amanhã: “Tudo acontecerá num instante, num piscar de olhos, quando for tocada a última trombeta. Porque virá do céu um toque de trombeta, e todos os cristãos que já morreram, de repente voltarão à vida com novos corpos que nunca, jamais morrerão; e, então, nós que ainda estivermos vivos, também receberemos, de súbito, novos corpos.” (1 Coríntios 15.52 NBV).
 
 
 
NA TRINDADE,
 
Andrei C. S. Soares.