Skip to content

Construindo uma casa para Deus

Mateus (Mt 7:24-27), texto da casa na rocha e da casa na areia, está inserido no grande sermão da montanha (Mt 5:1-7:29). É um ensino prático de Jesus, em que Ele trata de aspectos da moral e influência dos discípulos no mundo. É aqui, neste contexto, que está inserido as palavras do Mestre que trata dos dois fundamentos das casas. 

Parece que o fundamento a que Cristo se refere, e que os discípulos e discípulas devem construir suas vidas, é o fundamento da Palavra de Deus. Por isso, Nosso Senhor disse: Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha (Mateus 7:24). 

 

  1. Toda casa (vida e lar) dedicada a Deus, deve “ouvir-viver” as Palavras de Jesus.

Jesus faz duas comparações para ilustrar uma vida segura diante das intempéries, do sofrimento e que, ilustram a fé verdadeira em Deus. Vamos ler o que Jesus disse sobre uma casa segura e que agrada a Deus? Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha (Mateus 7:24). 

O que Jesus diz é de extrema importância. Ele pontua que é preciso ouvir-viver. Ao que parece, estes dois verbos estão conectados na filosofia de Cristo, ou seja, no ensino do Senhor. E não há tempo entre ouvir o que Ele disse e viver o que Ele ensinou. Não! Na verdade nossa vida e nosso lar, só agradam a Deus se ouvirmos-vivermos o que Jesus disse. 

É essa conjugação, ouvir-viver, que torna nossa vida como a do homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha. E aí sim, ouvindo-vivendo, as consequências virão: caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha (Mateus 7:25). A casa não cai, porque há santidade, fidelidade, amabilidade, reciprocidade. 

Jesus falou no sermão da montanha sobre ser bem-aventurado, sobre ser sal e luz, sobre a maneira correta de jejuar, ofertar, ajudar quem nada têm; sobre ser uma pessoa raivosa, sobre infidelidade conjugal, sobre divórcio, sobre amar os inimigos, sobre não ver o que é errado, sobre não julgar os outros, sobre quem vai entrar no reino dos céus, sobre a oração, sobre a porta e o caminho estreitos, sobre os falsos profetas… tudo isso, são as palavras que devemos “escutar-viver” de Jesus. Assim, nossa vida, nossa família, nossa casa, será uma casa para Deus! 

 

  1. Toda casa (vida e lar) não agrada a Deus, quando não é construída sobre as palavras de Jesus. 

Jesus também compara a vida de quem o ouviu, mas não viveu o que Dele ouviu, há um homem imprudente que construiu a casa na areia. Que triste e forte o que Ele disse. Podemos ter ouvido as melhores sermões, visto os melhores filmes, séries e documentários sobre Jesus. Termos uma defesa “brava” de Jesus nas redes sociais, aos que são contra os valores de Jesus. Podemos ter as palavras mais bonitas a respeito de Jesus. Mas se for apenas um discurso, nada vale para Jesus. 

É fake. É apenas um simulacro. Uma vida construída em areia movediça. É uma árvore bonita, mas sem frutos. Nuvem, sem água. Não tem conteúdo. Como Jesus disse sobre os fariseus: “… Hipócritas! São como túmulos pintados de branco: bonitos por fora, mas cheios de ossos e de toda espécie de impureza por dentro (Mateus 23:27 NVT). 

Ou seja, muitas das nossas vidas não são o que aparentam ser.  Muitas de nossas casas, famílias, não são o que aparentam ser. Porque nós apenas ouvimos a Jesus, mas não praticamos o que Ele nos disse: E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína (Mateus 7:26,27).

Ficou triste ou feliz? Há uma hora dessa, você já sabe se tem construído sua vida, e a sua família já sabe, se a casa de vocês está construída sobre a rocha ou sobre a areia. É importante você pensar nisso. Hoje, agora. Jesus estava formando os discípulos quando disse isso. Veja: Ele te chama para ouvir como quem diz: “Eu sou teu Mestre da vida e quero que você e sua família vivam valores eternos, vivam como já salvos, para que vivam por toda eternidade comigo. Vocês topam?”. 

Jesus disse tantas coisas fortes no sermão da montanha. Confrontou hipocrisia, falsidade, religiosidade. O que Jesus falou, é tipo quando a gente diz: “Que tapa sem mão. Que soco no estômago”… mas para o nosso bem. Você entende que o que Jesus ensinou é para o seu bem? 

Aí, veja só como Mateus registra o fim do sermão do monte: Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina; porque ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas. (Mateus 7:28,29) A reação das pessoas foi de surpresa, foi de perceber que Jesus falava e vivia o que dizia. Não era o que faziam os outros mestres. 

A multidão não pensou tanto nos outros, em quem não estava ouvindo o sermão da montanha. Não ficaram julgando os outros. A impressão é que entenderam que elas precisavam viver e influenciar outros a “ouvir-viver” as palavras de Jesus na Bíblia sagrada. E aí, topa ser essa casa que agrada a Deus? 

Por: Andrei Sampaio Soares